domingo, 9 de maio de 2010

Duas mulheres, um vestido preto e uma esquina

Sábado, dia de balada e duas mulheres lindas vão curti à noite.Ambas tem uma história de vida parecida. Uma com seus quarenta e poucos anos e a outra com seus trinta e poucos anos.
A mulher de quarenta, hoje é livre, vive sua libertadade à seu modo, mas um dia viveu presa e não era feliz, se sentia como um ave de rapina presa, sem poder voar para sua montanha. Essa historia vive a moça de 30 anos. Ela é linda, inteligente, mas deixa transparecer sua infelicidade, é a ave de rapina engaiolada que quer voar para bem alto e longe. As moças arrumam um grupo de amigos e vão para uma cidade vizinha, onde à noite "bomba". A moça de 40 anos resolve ser diferente, pois no seu cotidiano vive de jeans velho, tênis e camiseta velha, relaxada com seu visual, e naquela noite se arrumou para chamar atençaõ e conseguiu. Colocou um look preto, maquiagem, pernas à mostra e foi pro embalo, afinal o que um vestido preto não faz. A moça de 30 estava triste,com sua algema interior que a poda de ser livre e viver a plenitude de seu ser maravilhoso que ela possui, mas que ainda não descobriu. A moça com seu look preto reve amigos, colegas de trabalho, amigos de outros estados, está feliz, ela estava ali linda e não deu conta disso. A moça de 30 fica lá quieta com sua algema que a prende em todos os momentos da vida. Ambas sem saberem mexem com o imaginario dos homens que estavam na festa e fora dela. A moçinha de 30 resolve conhecer à noite da cidade, e sai com sua colega. Chegando conheceu outro mundo diferente do que ela está acostumada, ou seja atraiu os olhares dos homens que passavam pela rua, ao parar numa esquina se deparou com algo totalmente diferente de sua cidadizinha, um jovem passou de carro e perguntou quanto ela cobrava, ela indignada saiu andando, mais percebeu que a vida lá fora era totalmente diferente do mundo com o qual ela estava acostumada, os olhares que recebeu de outros homens que por sinal eram lindos a levou a refletir sobre sua vida e ela constatou que o melhor da vida é estar fora da prisão que se torna o casamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são muito bem vindos. Comentários com conteúdo racista ou preconceituosos não serão aceitos. Gostaria que assinassem, para que eu possa responder a todos. Muito obrigada.