sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

O CARNAVAL E SEUS EFEITOS NEGATIVOS

Para algumas cidades do país o carnaval virou sinônimo  de
problemas. Imaginem uma cidade de 8 mil habitantes durante o ano todo, passa a ter 20 mil habitantes em cada dia de carnaval, multiplicando 5 dias por 20 mil, temos 100 mil pessoas.A cidade não tem infraestrutura, os dano ao meio ambiente é desastroso, as ruas da cidade vira um mijódromo,a frota de carro aumenta nas ruas, a cidade fica fedorenta, sujeira por toda parte, sons alto nos carros que não deixa ninguém dormir, as praças da cidade destruídas(flores, bancos, luminárias), jovens se drogando, sexo em qualquer lugar, meninas em cima de carros peladas dançando funk. A população  da cidade fica refém não tem como sair. Tirar o carro da garagem é complicado, sempre tem um sem educação que estaciona em frente ao seu portão e some. A violência se multiplica, a policia não dá conta, drogas, brigas, estupros, assaltos. O consumo de álcool e droga  lota a emergência do hospital, além de feridos por brigas. A sensação de uma cidade sem leis e comando, e os moradores refém de foliões que vem com intenção de acabar com tudo.O carnaval que era paras as famílias não existe mais. 
 O mais trágico nisso tudo que o hospital da cidade não tem remédio,desinfetante para limpar os banheiros e muito mais coisa. Para o carnaval a prefeitura arruma dinheiro, até para desperdiçar com caminhão pipa de água potável para refrescar os foliões.Não estou falando de Rio de Janeiro, Recife, Salvador, mas de uma cidadezinha do interior do Brasil. Carnaval gera dinheiro para o comércio local, os comerciantes pensam assim,não é verdade, quem vem para o carnaval de rua são as pessoas de baixa renda de cidades vizinhas que trazem sua cerveja, são baderneiros que vem para destruir a cidade. Os secretários de turismo se esquecem que existem outros eventos que trazem dinheiro, como feiras, congresso, eventos culturais. O que a saúde do município vai gastar com as grávidas do carnaval, com o aumento de contaminação por Aydes e outras DST não compensa esse tipo de evento. Pode até ter carnaval como antigamente, para a população local, crianças, idosos, famílias, pois esses não participam mais. As músicas que tocam é só funk de baixo nível. Eventos que devastam a cidade e o meio ambiente tem que ser banidos. Está na hora dos políticos e a população repensar nos prejuízos do carnaval para uma cidade sem estrutura. O turista de carnaval é aquele que ninguém quer com pouca grana e no cio, só que as autoridades finge que não sabe disso e comercio local acha que vai ganhar muito, pura ilusão. Está na hora dos brasileiros acordarem para muita coisa no país, comecem pelas suas cidades. 

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

O AMOR NÃO ACABA, ELE SE TRANSFORMA

Ah o amor, que sentimento mais confuso que faz tanta falta na vida do ser humano. Tem todo tipo de amor, mas de um homem e uma mulher esse é tão confuso que muitas vezes não entendemos a forma de amar de certas pessoas. Quanto mais o tempo passa, mais complexo fica, principalmente se houve uma separação desse amor. Um dos maiores problemas para o amor não dar certo é a falta de maturidade e autossuficiência emocional. Eu confesso que não tive maturidade para sustentar o amor na juventude. Dizem que o amor vence todos obstáculos, mas o amor que nasce dentro da gente é aquele que damos para o outra pessoa, precisa de muita tranquilidade e maturidade para se sustentar por uma vida. O tempo apaga as mágoas, a gente finge que esquece e a vida segue. Você acha que tudo acabou, que outros amores viram. No meu caso não houve esse outro amor, encontrei pessoas que eram totalmente diferentes de mim, essa história que opostos se atrai nunca funcionou comigo. Meu aniversário uma data que já não tem mesmo sentindo como antes. Chequei cedo ao trabalho e lá estava meu ex amor do passado esperando para me cumprimentar. Fiquei tão sem palavras que tive vontade de pular nos braços dele e chorar pelos anos que estamos longe. Entre emoções e sentimentos guardados pelo tempo. Eu fiquei tão emocionada que lágrimas rolavam em meus olhos, sei  que o tempo passou e as pessoas mudam, que outro ciclo de vida se iniciou. Eu passei o resto do dia lembrando do nosso 25 anos juntos, dos passeios,de sentar á beira mar e ficarmos olhando o infinito, dos filmes de que assistimos juntos. Confesso que meu amor cresceu nesses 15 anos de separação, a gente se separa fisicamente, mas o amor não, ficou lá, meio que adormecido. Então cheguei a uma conclusão que existe amor que é para sempre, não importa a condição de estar juntos ou separados. O amor permanece, mesmo que você seja obrigado a sepultá-lo da sua vida, mas sabe que ele existe, está ali, te mostrando que para amar não é necessário estar juntos, no mesmo espaço. Pode ter até outro amor, mas aquele que você guarda sepultado no seu coração é único, ele apenas se aquietou para a vida seguir seu curso.A pessoa passou pela vida e seguiu o curso, mas o amor ficou ali, ele não foi embora com ela. É o seu amor, não de outra pessoa, você doou este amor, mas ele sempre vai te pertencer. Nesses anos eu aprendi que separar-se de quem a gente ama, é um gesto de amor próprio e ao outro também. O amor é generoso, imenso, sabedor que a vida é uma só e a gente precisa melhorar como ser humano. Juntos ou na despedida, na união ou na separação, mas o amor não vai embora quando é profundo, aprenda conviver com esse amor. Eu aprendi aceitar que para amar não é necessário  estar junto de outra pessoa, deixa ela viver com outros amores, não somos donos de ninguém.Somos proprietários de nosso amor, mas não de outras pessoas.



sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

NATAL DOS INVISÍVEIS

 Fim do ano de 2017, chegou o mês de Dezembro e com ele o Natal
uma data festiva e alegre para uns e triste para outros. Para os  brasileiros um ano muito ruim economicamente, muito desemprego, fome e miséria. Segundo o Banco Mundial atualmente no Brasil  existem 45,50 milhões de pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza, pessoas que vivem com US$ 1,90 por dia, cerca de (R$ 3,46), 1/5 da população do país vive com essa renda. Para essas famílias claro que falar em Natal é algo que não existe. Mesmo com os programas sociais do governo esse índice ainda é muito alto.A vulnerabilidade social no país é muito grande,essa população vive sem saneamento básico, moradia, planejamento familiar, saúde, educação. As politicas publicas chegam de maneira precária. A pobreza está invisível ao nossos olhos. Vai nessa época do ano num shopping center e verá lotado, fila para tudo.Consumo exagerado de uma parte da população, a outra parte fica esquecida na sua miséria.Imagine você com sua casa enfeitada, mesa farta, família reunida, você é um privilegiado, se considere rico. 
Na realidade as ações socais do governo é lenta, a sociedade fecha os olhos para a miséria dessa população. O poder econômico capitalista gera desigualdades em grande escala no país. O individualismo tomou conta da sociedade, se cada um fazer sua parte, doando um pouco, vai fazer diferença para quem recebe.
Natal época de sentimentos, família, renascimento do amor, está na hora de sairmos da nossa área de conforto é ajudar o próximo, não só nessa época do ano, mas o ano todo. No seu bairro, na sua rua tem alguém invisível que necessita de comida, uma criança que sonha com um brinquedinho.Para você não fará falta, para eles significa muito.Faça o Natal ser diferente, no mundo todo tem crianças morrendo de fome, a cada 1(um) minuto morrem 5 (cinco) crianças de fome. Concentração de renda e riqueza exclui e prejudica milhões de pessoas que são atingidas pela miséria. Essa estatística da miséria só tente a crescer, triste, mas é a realidade atual no mundo.   















quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

MEU DEZEMBRO DESPEDAÇADO

Dezembro o ultimo mês do ano de 2017. Você olha no calendário e
começa relembrar dos acontecimentos, de mais um ano que passou na sua vida. Parece que sua mente está programada para colocar todas as emoções para fora.  
O mês de Dezembro, é o mês de limpar nossas gavetas e jogar fora tudo aquilo que não tem serventia no próximo ano. Quando se faz uma limpeza na sua casa, vem as lembranças, porque no intimo estamos fazendo uma autolimpeza da alma e das emoções. A primeira lembrança que veio foi das pessoas que perdi nesse ano de 2017.Poucos dias perdi um amigo adorável, prestativo, uma pessoa maravilhosa.O mais dolorido nessas lembranças que todo mês de Dezembro, eu parava minha correria para comprar um presentinho para ele, o ano vai terminar faltando pessoas que eram a nossa extensão de vida. Em um ano acumulamos tantas lembranças e coisas dentro de casa.No meio das minhas coisas, encontrei lembranças do passado: Um CD dos Carpenters,que me chamou atenção, coloque para tocar e lá estavam minhas músicas e muitas lembranças de uma grande paixão de mais de 20 anos. Conheci ele na empresa, ele era na época o faturista. Um dia liguei para ele pedindo uma nota Fiscal e fiquei apaixonada pela voz linda dele. O tempo passou e vivemos nossa história de amor, que acabou sem a gente perceber estávamos longes e vivendo uma nova vida. Ali no meio de tantos papeis inúteis, encontrei uma foto minha numa praia linda com amigos e  parentes que já partiram, olhei aquela foto e me dei conta que só eu da foto está viva, confesso que fiquei muito triste, um ano nunca é igual para ninguém. Se você não viver o hoje, o amanhã pode não acontecer. Sua lista de presentes e amigos nesse Natal de 2017 poderá não ser mesma no próximo ano. Sua casa cheia poderá estar vazia nos próximos Natais.  Minha lista cada ano vai encurtando e assim é a vida. Por essas razões muitas pessoas não gostam do mês de Dezembro, o próprio clima do mês, Natal, família, festas, confraternizações  trás lembranças tristes e muitas pessoas se sentem deprimidas. 





sexta-feira, 24 de novembro de 2017

O POVO E A CORRUPÇÃO NO BRASIL

Mais uma ano está chegando ao final, hora de repensar sobre o
nosso país. Um ano muito difícil, desempregados no país chega a mais de 13 milhões, corrupção e enriquecimento ilícito bateu o record. Todos os dias saem nos meios de comunicação um novo escândalo envolvendo políticos. 
A Politica  no país virou símbolo de dirigentes corruptos,ainda tem alguns empresários que também ajudam os  políticos  na roubalheira.
Essa politica se generalizou pelo país, parece uma peste que contaminou todo mundo.  Essa sujeira toda começa lá em cima e chega até as cidadezinhas com menos de 10 mil habitantes. Cidade do interior é um caos, falta  saúde, saneamento básico,educação.... ah Frida na capital é muito pior, eu sei que alguém vai reclamar aqui. O problema tanto no interior como nas capitais são os desvios de verbas, os governantes se sentem o dono do poder e ai fazem o que bem entendem com o nosso dinheiro. O que mais me assusta nessa roubalheira toda, é a aceitação do povo brasileiro, parece que desceu um marasmo na população, todo mundo sabe e ninguém vai protestar, ainda tem quem defenda esses políticos corruptos. Um povo que deixa se levar. Sinto falta de juventude que foi para as ruas contra a ditadura, aqueles jovens cheios de ideais que lutou no Araguaia, no Rio, São Paulo e muitos lugares. Hoje eu vejo uma juventude que só sabe usar droga, fazer sexo sem responsabilidade. Quando tem uma manifestação nas ruas vão para quebrar monumentos, prédios públicos, assaltar caixas eletrônicos de bancos, viram uns vândalos. O mais triste que essa juventude serão  no futuro, os políticos que irão governar o país. Eu me pergunto o povo brasileiro se acomodou e vai ficar assistindo tudo isso até quando ?
Agora se tem copa do mundo, campeonato brasileiro, carnaval, ai todo mundo se mobiliza com dinheiro ou sem, a mobilização é geral. É impressionante o carnaval está longe, mas todo mundo economizando dinheiro para a fantasia,viajar, etc. Quem não tem um amigo que chega no serviço na segunda feira todo cansado porque foi assistir à uma partida do seu time em outra cidade ou até em outro estado. Eu fico perplexa com a facilidade e disposição para coisas que não vão mudar nossa realidade social. Temos a pior educação, a saúde péssima, estamos empobrecidos em todos os setores, uma sociedade desigual, a pobreza está presente em todo país. Os piores políticos são eleitos por essa população sem informação que vota por tijolos, dentadura, botijão de gás. Existe meios de mudar tudo isso ? claro que existe, só depende do povo, escolher políticos melhores, não aceitar mais essa corrupção que avassala o país. O brasileiro tem que mudar de atitude e pensamento, um povo unido faz um país com uma nova história.




   


     



domingo, 21 de setembro de 2014

A falta de humildade diante de Deus

Venho recebendo emails de leitores pedindo para escrever sobre a falta de humildade dentro das igrejas, já ouvi muitas pessoas reclamando do comportamento dos fieis da igreja em que frequentam. As igrejas hoje viraram um palco de exibição de poder, o que deveria ser um local de humildade, seguindo o exemplo de Jesus que é o maior exemplo de humildade, bondade e simplicidade. Jesus poderia nascer num palácio mais rico da terra, escolheu uma manjedoura para vir ao mundo.Ele foi posto numa manjedoura para tornar-se acessível a todos e a qualquer um. Se fosse colocado num palácio, ou alguma sala do Templo, poucos teriam conseguido chegar a ele sem a formalidade de primeiro obter permissão daqueles que estivessem trabalhando nesses lugares. Mas ninguém teria dificuldade nenhuma de chegar a um estábulo; ali ele estaria facilmente ao alcance tanto de pobres como de ricos igualmente. Dessa forma,desde o início,era fácil aproximar-se dele.Não havia necessidade de consultar algum sacerdote antes de conseguir acesso à sua presença. Jesus deu exemplo, mas os fieis e os lideres das igrejas passam longe dessa humildade.Outro dia eu ouvi horrorizada, uma cristã dizendo que só vai a igreja vestida como se fosse para uma festa de gala. As igrejas viram uma passarela de moda, as mulheres fúteis disputam quem vai mais bem arrumada e bonita. Diante dessa vaidade boba, me pergunto será que Jesus está tão preocupado com o tamanho do salto dos sapatos, o cabelo com chapinha das fieis,logicamente que não, essas pessoas vão à igreja para  exibir seu poder econômico e não buscar um Deus humano e humilde. Outro exemplo são as disputa de cargo dentro das igrejas, parece um plenário politico, menos uma igreja, já vi pessoas brigando por quer ter um cargo dentro da igreja em que frequenta, brigam para ser membros, a vaidade destas pessoas ultrapassam o limite do entendimento humana.Os ricos que dão um dízimo alto são bajulados pelos pastores, os pobres ficam esquecidos, o pastor nem se lembram que eles são filhos de Deus como os ricos.Outro dia eu questionei um líder de uma igreja, já que eles tem poder de convencimento das massas, porque não levantam a bandeira em defesa do planeta que está sendo destruído, temos como exemplo a maior capital do país sem água, as igrejas seria um local propicio para começar a conscientizar seus fieis sobre a importância da preservação do meios ambiente em que vivemos. A resposta que ouvi do pastor foi a mais burra que já ouvi em todos os tempos.." o papel da igreja é salvar almas e não o planeta.." Parece que este pastor nunca leu o primeiro livro da Bíblia Gênesis, lá está escrito que Deus criou primeiro a Terra, os animais, as plantas, as águas e por ultimo o homem. A desinformação é tanto que esses lideres estão preocupados com o dinheiro que arrecada dentro dos templos e os fieis preocupados com a vaidade.Uma coisa é certa, se Jesus voltasse aqui na Terra, ele nem passaria na frente desses templos devido ao tamanho da ambição, falta de humildade, a vaidade é o primeiro mandamento a ser seguido pelos fieis. Deus é amor, simplicidade, humildade, amor ao próximo, pena que seu exemplo não é seguido por uma grande maioria. O que nós vemos são pessoas arrogantes, descriminadores que vão à  um templo para exibir sua vaidade, seu poder econômico diante de lideres bajuladores que usam o nome de Deus para convencer pessoas sobre uma ideologia falsa, sem objetivos concretos   

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

O caos da liberdade

Lendo um livro de Freud, encontrei uma frase que me fez refletir sobre o momento do país está passando. "A maioria das pessoas não quer realmente liberdade,pois liberdade envolve responsabilidade, e a maioria das pessoas tem medo de responsabilidade" Sigmund Freud. 
O maior sonho do homem sempre foi conquistar sua liberdade, mas ele se esqueceu de que para ser livre tem que ter responsabilidade. A liberdade em excesso virou um caos em todos os segmentos da sociedade, pois falta responsabilidade. Alguns anos atrás os jovens não tinham a liberdade de hoje, eram mais controlados pelos pais, só saiam para sua liberdade quando tinham responsabilidades. Na atualidade de hoje vemos jovens perdidos e sem nenhum tipo de responsabilidade, não sabem viver na liberdade. As meninas engravidam antes dos 16 anos, usam todo tipo de drogas, houve no Brasil aumento de contaminação de jovens com o vírus do HIV, sexo sem responsabilidade. Os jovens viraram rebeldes sem causa, não sabem nada da vida, em vez de lutar por um país sem desigualdades sociais, vão para as ruas fazer vandalismo, roubar e quebrar lojas nos protestos. Um adolescente hoje pode matar, roubar, causar sérios prejuízos à sociedade e não sofre penalidade, a própria Lei dá a ele a liberdade de não ser punido. A liberdade sem disciplina é escravidão. Liberdade sem hierarquia de valores é um atentado contra o equilíbrio de uma sociedade, essa é a liberdade que estamos vivendo no país. Um exemplo disso é nossa liberdade de escolher nossos representantes nas eleições, elegemos os piores candidatos e depois reclamamos por quatro anos. Já ouvi na época de eleições muitas pessoas dizendo “... vou votar em qualquer candidato, para mim tanto faz..." sem responsabilidade quem age e pensa assim. Parece que a liberdade deixou as pessoas sem criatividade, outro exemplo disso é a arte, ficou muito pobre. Houve um tempo, em que o Brasil passou ser conhecido lá fora devido suas telenovelas, eram histórias que traduziam sentimentos profundos, tínhamos o prazer de assistir as novelas da TV, hoje são histórias bobas, que levantam bandeiras por causas inúteis. Tudo que é exagerado tem efeitos negativos, hoje a liberdade em excesso trouxe vários conflitos dentro da sociedade. A família, a politica, a educação são alguns exemplos,em que a liberdade excessiva causa efeitos drásticos. Ser livre é o sonho de todos, mas poucos são responsáveis pelos seus atos.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

O destino e a vida

Com os anos vividos, comecei acreditar em destino, seja qual for a situação, tudo na vida
está correlacionado com o destino, nascemos e morremos com um destino traçado. 
Diariamente,atravessamo muitos cruzamentos, pequenos ou grandes.Existem muitos caminhos que podemos escolher. Mas nem todos eles levam ao destino que desejamos para nossa vida.O destino às vezes é cruel com as pessoas, então você começa a se questionar  será que mereço este destino? Outro dia, um pai estava muito triste e aborrecido por causa do casamento de sua filha, ela inteligente, bonita, tem um ótimo emprego, mas tem um marido que é um traste, e ele me pergunto que destino é este, na concepção desse pai,a filha merecia algo melhor, são respostas que muitas das vezes não temos. Tem pessoas que num curto espaço de tempo, perde toda família,  fica só no mundo e não consegue um companheiro(a), por mais que procure, parece que só existe ele no mundo. Lendo noticiário, sempre tem histórias de pessoas que estiveram à beira da morte, mas sobreviveram e vão fazer uma viagem para comemorar  vitória de estar vivo, o avião cai, já outros tinha que fazer aquela viagem e  por obra do destino deixa de embarcar salvando do acidente. No amor o destino às vezes é muito cruel, tem pessoas que encontram a pessoa dos seus sonhos do nada, basta apenas um encontro e pronto, ali está a pessoa dos sonhos, já outros procuram a vida toda nunca o encontra, quando o encontra vive pouco tempo ao lado daquela pessoa, de repente ela parte de sua vida. Algumas religiões acreditam no destino,mas que temos a liberdade para poder mudar nosso destino.Em alguns casos podemos mudar, mas tem situações na vida que nada podemos fazer.Tem pessoas que a vida joga com ela, sempre está perdendo algo, parece que a perca faz parte de toda sua existência. Enquanto há vida, o destino sempre está em combate,mas muitas vezes ele vence. Na juventude imaginamos uma vida completamente diferente, mas nada daquilo acontece, e passamos por situações nunca imaginadas na vida. Outro dia lendo o jornal, me deparei com uma noticia de uma mãe que perdeu todos filhos numa tragédia de desabamento, só ficou ela e o marido, este com uma doença terminal. Ela fez um desabafo que me chamou atenção, "... o destino me levou toda minha família e agora meu companheiro, eu tinha uma casa cheia e hoje não tenho mais ninguém, que fiz para ter um destino assim, tão cruel...". Diante de uma situação assim, você começa a se questionar sobre os desígnios da vida, será que essa pobre senhora merecia esse final, que mal essa pobre fez na vida, logicamente nada. Era esse seu destino estava lá traçados nas suas páginas da vida. Dizer que podemos mudar nosso destino,é muito fácil, mas em muitas situações, nada podemos fazer, ele está escrito com aquele final,é  como se fosse numa peça de teatro, só tem aquele desfecho.     

terça-feira, 10 de junho de 2014

O amor e o Capitalismo da Mídia

Dias 12 de junho que no Brasil é o dia dos namorados, data que é variável de país a país, cultura a
cultura. O comercio de todo país e a mídia deixa bem claro que não podemos esquecer do presente.O que não devia ser esquecido é o amor, sua importância na vida das pessoas, o valor de ter uma pessoa na vida, pela qual você tem admiração, isso não é lembrado. Com o aprofundamento do capitalismo na economia mundial, o nosso calendário e cultura tiveram grandes mudanças: a questão religiosa do natal dá lugar a um  movimento de pessoas que têm capital para gastar, lotam as lojas, shopping´s, supermercados ou hipermercados, etc. Temos o dia das mães, o dia dos pais, dia das crianças, natal, etc.Além de celebrarem algo com alguma intensidade,também são datas que visam lucro no comercio.E o dia dos namorados entra nesse contexto, infelizmente, o que era para ser uma data para demonstrar o amor e o carinho entre os companheiros, o amor acaba sendo esquecido, dando lugar ao presente. Imagine um casal que não te como comprar um presente, diante da mídia que enfatiza a importância do presente para comemorar a data, como se sente. O presente é apenas algo simbólico, importante é o amor, o valor que se dá a pessoa que compartilha sua vida, isso a mídia não fala. O amor não é para se comemorado numa data especifica, mas a vida toda, todos os dias, você que tem seu amor, comemore essa conquista, a parceria de estar juntos, para isso não precisa de um presente caro, seja você o  presente na vida da outra pessoa.Vamos parar com essa coisa de achar que se pode comemorar datas com presentes, comemore por ser especial, com palavras, com gentilezas, com demostração de um profundo amor que existe no seu coração. Não adianta chegar no dia 12 com uma joia para a namorada(o), se sua atitudes não foram corretas com esta pessoa.O amor deverá ser a base de qualquer relação, junto com a amizade e o respeito, a cada dia esse amor tem que ser regado para se sustentar e permitir sua estabilidade por anos. Não tenham medo de ser românticos neste dia, de reforçarem o amor que sentem pelo outro, para que este amor dure para sempre, envelhecer juntos é o melhor presente que a vida pode dar aos casais, esse presente não tem preço.Casais pensem  nisso, antes de ficarem se preocupando mais com o presente, tem  momentos na vida, que um gesto de carinho tem muito mais valor que um bem material.

sábado, 31 de maio de 2014

A curiosidade feminina sobre o futuro

Muita coisa mudou na vida das mulheres desde os anos 1960, quando as feministas queimaram sutiãs
em praça pública. Hoje elas mandam e desmandam nas empresas e nos países, podem escolher se vão ou não se tornar mães, esposas, donas de casa ou amantes e têm liberdade para colocar em prática seus desejos na cama quando e com quem quiserem. Só continuam com certa dificuldade para dominar as próprias emoções. E um fato parece imutável: a ânsia de driblar o destino e saber o que futuro lhes reserva em relação amor ainda leva milhões mulheres a procura de adivinhação e, muitas vezes passam por situações hilárias. O sonho de todas mulheres é encontrar um homem perfeito (o príncipe encantado), mas nem sempre é fácil essa busca, mesmo  porque não existe ninguém perfeito.Mas quando uma mulher colocar algo na cabeça, não existe argumento que mude isso.Na busca pelo príncipe encantado vale tudo:cartomantes, astrólogos, quiromantes e especialistas em búzios, pai de santo, anjos, cristais e outros tipos de oráculos. Não importa o método, o importante é tentar descobrir quando o homem perfeito aparecerá, se depois que apareceu, há chance de o romance decolar, e virar um compromisso mais sério que chegará ao casamento dos sonhos. Quem na vida não conhece uma mulher que já consultou uma cartomante para saber o futuro amoroso.Uma amiga passou por uma situação hilária,que virou motivo de risada entre os amigos. Ela estava apaixonada por um rapaz bem mais jovem, sabe aquele tipo de homem não é de ninguém, mas de todas, era esse. A moça foi procura um Pai de Santo, bem famoso na sua cidade e muito procurado por pessoas de outras cidades. O Pai de Santo disse que traria o rapaz, mas ela teria que levar um sapo vivo e bem grande para ele. Os sapos hoje estão ficando estinto devido a destruição do ecossistema, encontrar um, não é tarefa muito fácil. Por muito custo ela encontro um, depois de um bom tempo procurando. Colocou o pobre bichinho numa caixa de sapatos e foi para o "terreiro''. Naquele dia era véspera de feriado prolongado, o transito estava muito lento, era um dia de verão escaldante. Ela pegou um ônibus lotado com o sapo dentro da caixa vivo, com o calor dentro do ônibus  o pobrezinho do bicho como começo a dar pulos e soltar grunhidos estranhos, os passageiros começara a olhar e procurar onde vinha tal ruido, outros perguntaram que bicho tinha na caixa, a moça nervosa não sabia o que fazer para acalmar o pobre sapo, com os pulos do bicho uma patinha do animalzinho ali acoado saiu pra fora da caixa, uma criança no colo de uma mãe gritar bem alto e aponta.... " Olha mamãe a pata do bicho na caixa daquela moça". Os passageiro arrumaram uma confusão dentro de coletivo, que a moça teve que descer antes do ponto.Depois de uma boa caminhada, ela finalmente entregou o sapo para o "trabalho". O resultado dessa maldade com o animalzinho, ela está com o rapaz hoje, ele virou um alcoólatra, não tem emprego e ela o sustenta. Se o "trabalho" fez efeito não sei, pois a vida tem suas surpresas. Resolvi colocar essa história para meus leitores opinarem sobre essa curiosidade das mulheres sobre o futuro amoroso. 

quarta-feira, 5 de março de 2014

O Carnaval e a economia do país

Finalmente o país do "carnaval e das bundas" começa voltar ao seu seu ritmo normal. O carnaval
pára o país, tudo gira em torno desse evento no Brasil, parece que vivemos num país que não tem problemas de seguranças, educação,desigualdades sociais, saúde, desemprego, em fim tudo funciona às mil maravilharas.O comércio fecha, bancos, hospitais que só atende emergência, empresas que fica no prejuízo quase por uma semana, escolas fechadas e alunos sem aulas. O número de gravidez no carnaval de meninas com menos de 18 anos é assustador no país todo, contaminação por HIV aumenta nesse período, consumo de bebidas alcoólicas e drogas por menores sem controle das autoridades, além da violência que triplica em todas as cidades, fora tudo isso ainda tem o impacto ambiental. Imagine uma cidade de 15 mil habitantes e no carnaval vai para 30 mil, a capitação de esgoto desta cidade fica saturada, o impacto disso  no meio ambiente é muito grande, o consumo de água aumenta, sobrecarregando os reservatórios.Os moradores de locais onde tem carnaval, passam cincos dias infernais,barulho, ruas interditadas, mijo nas portas das suas casas, assaltos, cenas de sexo explícito a qualquer hora, jovens se drogando o tempo todo, muita briga com morte violenta, sem falar na imundice que fica o local.O que as prefeituras gastam com o carnaval poderiam equipar a rede de saúde do município com equipamentos que poderiam salva muitas vidas. O triste disso tudo é visão que os estrangeiros tem do país, o tão glorioso carnaval, é visto lá fora como um evento de mulheres nuas que mostram a bunda para a imprensa do mundo todo. O Brasil vende essa imagem da mulher nua em cima de um carro alegórico ou nas praias, incompatível com aquilo que realmente somos, o país tem outras coisas, além do carnaval.O Brasil é visto lá fora como um país exótico,esse é o pior elogio que alguém pode dar a um país é dizer que ele é exótico.O que é exótico não se encaixa em nenhum padrão, é estranho, desconhecido, isso para nosso país é um atraso.Tudo bem que o carnaval traz turistas para nosso país,mas quem mais lucra são as companhias de cerveja. Os efeitos econômicos são grandes no país todo, um exemplo disso, qual o empresário de fora que, vai investir num país, onde tudo pára por uma semana, a visão dele é que a população não gosta de trabalhar, o que não é verdade.Infelizmente essa cultura não vai mudar, nunca seremos um país sério na visão de outro países desenvolvidos. O carnaval existe no mundo afora, a diferença está na responsabilidade, se pode divertir sem parar as atividades do país.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Natal dos excluidos

Época de Natal, tempo de exclusão para muitas pessoas.Para as pessoas que moram nas ruas, quem já não tem  mais família, quem vive fora do seu país, pessoas que moram em regiões longe dos parentes, o Natal acaba sendo uma festa triste. Natal hoje virou simbolo do capitalismo, só quem tem dinheiro comemora com festas e com mesa repleta. As pessoas perderam a noção do que realmente significa o Natal, tudo acabou virando um desespero de consumo nojento e se esqueceram, que Jesus veio ao mundo para distribuir amor ao próximo. Hoje é muito comum as famílias se reunirem para comemorar o Natal, só os membros da família, eles esquecem que nem todo mundo tem esse privilégio. Tem pessoas que chegam a oferecer na maior cara de pau  "... se você quiser passar  o Natal lá em casa, o preço é X..." nem todo mundo tem dinheiro, muitas das vezes a pessoa só quer companhia, sentir o Espirito Natalino junto de uma família. Até quando o ser humano vai ser tão egoísta assim. Quando eu era criança, a gente não tinha muita coisa, era tudo simples, mas quem chegasse na casa de meus pais, se servia á vontade, não tinha  preço, meu pai ficava tão satisfeito de ver as pessoas saboreando aquela comidinha simples, mas com amor. Hoje  cada um na sua casa, com sua rica ceia e foda-se quem não tem uma família, dinheiro ou um lar. Ontem dia 24 de Dezembro uma amiga, cuja a família está fora do país comentou "... as pessoas olham para gente com cara de superioridade, porque tem uma família reunida, a gente se sente excluída como se tivesse uma doença contagiosa...." Eu ouvindo isso fiquei ainda mais triste, pois também faço parte dos excluídos, sem família.  A podridão do ser humano, não tem limite, até diante do nascimento do Criador da Humanidade, se sentem superior, esquecem que estamos aqui só de passagem, a vida é muito curta, quem hoje ostenta poder, dinheiro, amanhã poderá não estar mais aqui. A morte é democrática para  todo mundo, todo poder, orgulho não vai servir para nada. Se amamos Deus e os irmãos, caminhamos na luz, mas se nosso coração se fecha, se prevalecem o orgulho, a busca do interesse próprio,ficamos longe de Deus, isso deveria ser lembrado por aqueles que se sentiram superior com suas mesas  fartas e muitos presentes. A vida não tem retorno, nossa passagem aqui é muito curta, portando todo orgulho e poder, não levará a lugar nenhum .

segunda-feira, 22 de julho de 2013

A diferença social presente até na hora da morte

O crescente estado de miséria, as disparidades sociais, a extrema concentração de renda, os salários baixos, o desemprego,a fome que atinge milhões de brasileiros, a desnutrição, a mortalidade infantil,a marginalidade, a violência, são exemplo do grau a que chegaram as desigualdades sociais no Brasil. Em muitos casos essas diferenças estão presente até na hora da morte. Aquele ditado que todos somos iguais diante da morte,não é verdade, existe muita diferença entre o rico e pobre. O pobre sofre até para ser sepultado, começa pelo custo do sepultamento  Em algumas cidades a família tem que levar um atestado de pobreza para a assistente social liberal o caixão da prefeitura. Cemitério de pobre parece uma sucursal do inferno, túmulos quebrados, mato, ossos amontoados, lixo, se for na época chuva lama por todos os lados, total abandono e desrespeito aos mortos, em algumas cidades o cemitério virou ponto de encontro de usuários de crack de tão abandonados.Em cidades que tem morros, o cemitério fica no local mais alto da cidade e de difícil acesso. Quando a família leva o morto para ser sepultado, parece que está levando direto para o céu de tão alto é o lugar. Se o morto ressuscitar nesse cemitério morre novamente de tão desolador é o local. Já presenciei velório que família não tinha pessoas para carregar o morto, além da dor da perda existe também a dificuldade para o sepultamento. Já para os ricos é tudo bem diferente e fácil, até a dor da perda é bem menor. Começa pelo cemitério que aliás tem nomes poéticos como: Campo da paz, Jardim da saudade, Parque da Flores,Campo da boa Esperança,Memorial da saudade, Portal da saudade, Jardim da Paz,Bosque da Paz etc. O lugar parece mais um parque que um cemitério com flores, alamedas calçadas, gramado bem cuidado, tendas para a família se abrigar em caso de chuva ou sol, árvores, o morto nem para baixo da terra vai, pois tem gavetas muito bem acabadas.Em cemitérios horizontais se encontra o maior poder econômico do morto com sepulturas que são verdadeiras obras de arte, muitas importadas de outros países. Alguns desses cemitérios de tão rico, já virou atração turística em muitas cidades, na Argentina o cemitério La Recoleta em Buenos Aires é atração turística pela beleza das sepulturas e também pela sepultura da Evita Peron. A urna do rico tem valor da casa de um pobre com tudo dentro. Velório de pobre só vai a família, já os ricos parece gente de todos os locais, políticos, vizinhos, parentes de outras cidades, amigos então surge aos montes. A família se veste como se fosse para a entrega do Oscar, ternos, vestidos pretos, saltos, óculos escuro que até as crianças usam, só falta o tapete vermelho. As coroas de flores parecem uma floricultura ambulante, o cortejo só vai carrões de luxo que mostra o poder do morto. O morte leva o luxo para outra vida, se é mulher vai muito bem maquiada como se fosse para uma festa, os homens com ternos de grifes.Na hora do sepultamento silêncio total, você só escuta o barulho dos saltos das mulheres que acompanham o cortejo, ninguém chora, isso quando não contratam um músico para tocar My Way do grande Frank Sinatra ou Ave Maria de Gounod. A celebração sempre tem um padre ou um pastor conhecido da mídia.Infelizmente a desigualdade social está presente até no ultimo suspiro da vida. Nós somos aquilo que possuímos, não adianta alguns sonhadores dizerem que somos todos parecido na dor, isso não é verdade. A dor pode ser igual, mas para os menos favorecidos ela é muito maior. O poder capitalista está presente na nossa vida, a desigualdade social cria as diferenças sociais que exclui as pessoas em qualquer situação, seja no nascimento ou na morte.

sábado, 22 de junho de 2013

Nem sempre viver corretamente é ser feliz

Uma das vantagens de ficar velho, é a facilidade de ouvir as pessoas nos seus desabafos e conflitos. Encontrei um amigo que há muito tempo eu não tinha noticias. Conversando ele fez um desabafo sobre sua vida sexual, que me deixou perplexa. Ele é inteligente, bonito e tem perfil que as mulheres gostam. Hoje ele tem uma religião, e mudou sua vida. Mas a mudança não o faz feliz no seu casamento. Ele me confessou que sempre teve romances fora de seu casamento e que essas"escapulidas" fazia o casamento mais feliz, cada dia sentia mais desejo e amor pela a esposa. Hoje ele vive exclusivamente para a esposa, mas o casamento se tornou monótono. E ai falar o que diante disso, ele tinha mais disposição para amar, trabalhar, era mais romântico em casa. O perigo da aventura o fazia feliz, sentia mais desejo sexual e agora faz sexo pela obrigação e não pelo prazer. Eu nunca imaginei que iria ouvir isso. Normalmente as situações extraconjugais sem envolvimento afetivo são as mais fáceis de administrar e esquecer. Tem até aquela traição que representa apenas um momento de fraqueza, nada mais, isso para ele era uma diversão que passou a não ter mais. Sem essa "diversão" seu casamento que antes era romântico, cheio de desejo, acabou. São situações difíceis para você ter uma opinião sobre o assunto.Confesso que fiquei confusa diante da revelação dele. Amar uma pessoa por muitos anos exige muito esforço e renúncias. A teoria de ter um caso extraconjugal pode, na realidade, ser a chave para melhorar o relacionamento a dois, infelizmente essa teoria é verdadeira, foi que meu amigo falou. Quem vive essa teoria deveria ficar sozinho, que manter um casamento sem emoção. Tem momentos na vida que a emoção tem que ser substituída pela razão, só quem ama de verdade consegue ultrapassar oportunidade de uma traição. Ele ainda me contou que toma remédios para a disfunção erétil, coisa que antes ele não usava. Aconselhei  a procurar um bom psicólogo e ele me respondeu que já foi e não resolveu seu problema, que o deixava triste. Com os anos de vida, tornamos mais realistas em relação ao envolvimento, se não tem atração desista já no inicio porque não vai acontecer nada, é a lógica. No final da conversa disse para ele voltar para suas aventuras se isso o faz feliz, sei que fui incorreta, mas é a solução. Tem coisa que está claro e não adianta ser hipócrita, cabe a cada um, ser feliz com as ações e práticas corretas perante a religião e a Deus. Mas se a pessoas é infeliz então vá a luta e assuma as responsabilidades com Deus. Ele se despediu de mim com um lindo sorriso e falou era isso precisava ouvir "... vou voltar a ser o que era antes, eu só queria ouvir a opinião de uma mulher, porque todos os meus amigos já falaram isso..." ele só queria confirmar o que já sabia que iria fazer. Minha consciência ficou aliviada. Estou aqui escrevendo a história porque quero saber qual vai ser a reação do público, pois fiquei perplexa com sua revelação, pois quando se trata de sexo todo mundo nunca tem problema, tudo funciona ás mil maravilhas e ele foi corajoso de confessar seu problema. Espero que ele volte a ser feliz como era, pois sempre foi uma pessoa muito feliz. 

sábado, 15 de junho de 2013

Uma semana de amor nas montanhas

Fui fazer uma viagem á trabalho e nessa viagem aconteceu algo, que me chamou á atenção e me fez pensar.
O destino da viagem era uma cidade nas montanhas que estava sediando um congresso sobre meio ambiente. A cidade é linda, com arquitetura de estilo dos Alpes Suíço, além da culinária de sabor europeia. Foi nesse lugar que uma participante do congresso viveu uma semana de amor tórrido. Clima frio, lugar aconchegante, ideal para  viver um amor. A moça da história é da área jurídica, especializada em legislação ambiental. A moça assim que entrou no hotel caiu de amores pelo garçom do bar do hotel. Bastava um tempo livre no congresso, lá estava a moça com seu olhar de apaixonada pelo moço das montanhas. Como á noite era livre a moça saia com sua paixão e no outro dia estava com olhar feliz. A cidade tem lindos bistrôs com música ao vivo, com fondue, vinhos, chocolates, em fim tudo que os românticos amam. Bastava olhar para os dois e ver a felicidades deles. Para mim nada demais, já que ambos eram livres, mas parece que para a moça tinha uma barreira enorme. No último dia ela estava triste e perguntei onde estava seu olhar feliz e ela me respondeu muito triste. "... encontrei pela primeira vez na vida uma pessoa perfeita em tudo, que me faria feliz, mas ele não tem um problema...". Diante dessa resposta procurei saber qual era o problema com o rapaz e ela me disse muito triste. "... ele é garçom, tem uma vida simples aqui nesta cidade, eu sou de outro nível social, vivo na capital, ambos são adaptados a uma vida diferente...". Eu que vejo o amor como algo  sem barreiras, sem discriminação de classe  social,  disse a ela - " O  que separa vocês é a diferença econômica e cultural..." 
Ela disse "exatamente isso, ele é prefeito, mas somos de mundo diferente". Diante desse pensamento da moça eu cheguei á conclusão que existe preconceito até para o amor. Nós vivemos numa sociedade preconceituosa, você vale pelo que tem não pelas suas qualidades. O preconceito só não existe quando não é com você ou com sua família, basta acontecer algo e logo vem a discriminação social imposta com principio de regra em qualquer que seja as circunstancias, até no amor. O congresso terminou, eu fiz o check-out dos participantes para voltarmos a vida  de rotina. A moça segurando sua bolsa disfarçava, mas as lágrimas que teimavam em descer, para piorar a situação o moço desce de um carro bem simples e vem despedir dela, também com um olhar triste, no fundo ambos sabiam que sua história havia terminado ali. Eu que já não sou mais jovem fiquei imaginando, quem sabe ali naquela bela cidade tinha ficado uma história de amor que poderia ter um final feliz, se não fosse a diferença social. Em pleno século XXI, ainda temos o preconceito fazendo sua história na vida das pessoas.         
             

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Voltando a vida

Estou de volta a vida lentamente, depois de tantos acontecimentos.
Fui fazer uma viagem que era bem demorada, pois era de ônibus que parava em algumas cidades. A estrada era linda, cercada de montanhas. Como gosto de ver as paisagens, qualquer viagem  é agradável. O verde das montanhas e o céu azul me fez pensar e refletir sobre meus anos de existência aqui nessa vida. Aquele dia eu estava triste pois, havia enterrado meu pai. A morte é algo difícil de entender, mesmo que você esteja preparado. Meu pai estava com mais de 81 anos, mas eu queria ele vivo, rindo e feliz. Nós somos egoístas  em querer as pessoas, que amamos para sempre ao nosso lado, mesmo sabendo que estamos aqui de passagem. Olhando a paisagem, voltei ao meu tempo de infância, com meu pai, minha mãe, só então pude compreender a vida. Quando se é jovem, a gente nunca imagina que um dia vai perder as pessoas que mais amamos e também  que um dia vai acordar e  não ter mais ninguém. O difícil de envelhecer não é perder a beleza da juventude, mas perder os amigos, os pais, marido, em muito casos até filhos. Tem momentos que você se sente impotente diante da perda, vendo meu pai sendo enterrado, parecia que aquilo tudo era  um pesadelo,que eu iria acordar e nada daquilo estava acontecendo. Diante das perdas temos que seguir com a vida faltando pessoas que faziam parte da nossa existência. A viagem foi longa, eu olhava as árvores que ficavam para trás e pensava nos sonhos da juventude que ficaram para trás no decorrer dos anos. Eu lembrei do vigor de meu pai que amava a vida no campo. Eles conseguiam viver com tão pouca coisa, hoje me pergunto como minha mãe que trabalhava muito e tinha ânimo para fazer tantas coisas. São perguntas que só eles que viviam na simplicidade sabiam responder. Na juventude você quer fazer uma revolução na sua vida, quer conhecer gente, viajar, amar, ir além dos sonhos e se esquece, que tudo tem seu tempo para acontecer. Você só reconhece isso depois dos 50 anos, quando vê sua vida também indo embora.Eu por exemplo não gostava do silêncio do campo, a vida parada, hoje vejo como meus pais eram felizes naquele lugar e na sua simplicidade. Eu nunca imagine ser feliz num lugar assim, só agora percebo que para ser feliz basta muito pouco.Depois que você enterra seus pais, fica um vazio que nunca vai ser substituídos, mesmo que a vida volte ao normal. Hoje minha vida já voltou ao normal, trabalho, correria, mas lá fundo vem aquela saudade de pessoas especiais que se foram. A vida continua em outras dimensões, e nós aqui temos que fazer nossa parte. Fim da viagem, cheguei em minha casa, mas lá longe ficou um vazio. Enquanto estamos aqui, temos que lutar pela vida, voltar a sorrir, pois a vida continua nos esperando para mais um dia. Hoje estou alegre, amanhã poderei estar triste, mas temos uma vida para ser vivida e  um mundo para ser construído. O vazio de hoje será a lembrança de alguém especial que veio ao mundo para me trazer para esta vida. Meus pais, obrigada por tudo que conseguir ser diante de tantos obstáculos, pois vocês me ensinaram a ser forte. Mesmo diante da dor seja forte, afinal você vai escrever as páginas da sua vida,  com dores, alegrias, sofrimentos, mas é essa força que nos faz viver. ... e a vida segue, hoje triste, mas amanhã será outro dia e outra história.         

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

As lembranças são para sempre

Todos nós no decorrer da vida temos lembranças de momentos felizes, de pessoas que partiram, de momentos da vida que não voltam mais. Essas lembranças sempre vão permanecer em nossas vidas, em alguns casos até são dolorosas. Eu por exemplo lembro da minha infância, do barulho das águas quando chovia muito, pois havia na região muitos rios que hoje já não existem mais no local, lembro também do frango com  macarrão que minha mãe fazia, que ficava uma delícia. Outro dia fui passear em uma cidade onde tem sorvetes finlandeses. Nessa cidade veio a lembrança de quando eu era casada ia tomar sorvete finlandés com meu marido e escolhia o sabor damasco, parecia tão real, que por um momento, eu vi meu marido ali sentado  comigo tomando sorvete, sendo que ele já não faz parte da minha vida há muitos anos. Comentei com um amigo das lembranças que tenho e, ele disse que vou conviver com elas pelo resto da vida, pois fazem parte da  minha história de vida. Quando você perde pessoas que por algum  motivo fizeram parte da sua vida, essas lembranças são dolorosas demais. Tem momentos na vida que você gostaria de esquecê-las, mas não consegue. Quando chega as datas comemorativas, as lembranças voltam mesmo que você não queira. Dias atrás foi meu aniversário e, cada ano já não tenho mais a felicidade de tempos atrás, onde eu comemorava  o mês inteiro. Lógico que todos nós temos lembranças boas e ruins e, que iremos conviver com elas, mas deveria existir uma fórmula mágica que deletasse as ruins que  trazem dor e sofrimento. Você pode ser feliz, ter reconstruindo sua vida após perdas e separações, mas as lembranças vão sempre estar presente em algum  momento da vida. Por alguma razão as lembranças amargas estão mais presentes na nossa  memória, o que deveria ser o contrário. Outra coisa que temos é associar alguma coisa com passado, eu por exemplo, sempre que sinto o perfume da flor Dama da noite, lembro dos tempos de escola, pois havia um pé dessa flor na escola que era motivo de reclamações devido ao cheiro forte da flor. Ficaram lembranças de momentos que nunca vão ser esquecidos. Lembranças que são reflexos de saudades, de ausência, de pessoas ou momentos especiais. Muitos momentos serão lembrados e outros jamais poderão ser esquecidos, assim é a vida. Como conviver com suas lembranças é o que faz a diferença na vida. A vida continua com sua história, o presente de hoje será a lembrança de amanhã.  

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

A exclusão social do Natal


Final de ano chega e vem o transtorno das festas, principalmente quando você nunca teve na infância e mesmo na idade adulta, o Natal continua não ter sentido na minha vida. Como tive uma infância muito pobre,eu diria paupérrima, que não tinha Natal, esta é uma festa que exclui os pobres.Hoje vejo muitas famílias que continuam sendo excluídas.O Natal virou uma festa para quem tem alto poder econômico para gastar em presentes e festa.Tudo gira em torno do capitalismo que incentiva consumo e excluí grande parte da sociedade no poder de consumir bens. Em época de festividade natalícia e passagem de ano, tenho percebido a dualidade de sentimentos nas pessoas. Ou se ama, ou se odeia! Uns porque não vêem a família durante o resto do ano, mas apenas porque é Natal tem de existir um encontro forçado, e já não conseguem relacionar-se o ano todo, outros porque é realmente mais uma extensão de todos os convívios ao longo do ano, em família, e é sempre uma festa e uma enorme partilha sincera, mas também pode ser muito falsa. Na contemporaneidade existe um número muito grande de pessoas sem família ou que perderam o vinculo familiar e vivem a solidão social, neste dia, onde a mídia prega a uma família perfeita como ponto referência para a festa de Natal, quem vive sozinho,ao invés de pensar no bonito significado da data ou simplesmente descansar nos feriados, acaba ficando deprimido. Na minha opinião é uma festa que devia ser comemorado o renascimento, mas acaba sendo para uma parte da sociedade que tem poder aquisitivo e uma família.A sociedade vive sobre a ditadura da mídia que dita que todo mundo é obrigado a ser feliz, que as famílias são perfeitas, o que nem sempre corresponde á realidade que as famílias vivem, com o Natal essa diferença acaba vindo á tona e muitas pessoas ficam deprimidas, choram e bebem muito para "aliviar" a dor da alma. A intensão do Natal é comemorar o nascimento de Jesus, afinal o clima Natalino não se resumo em consumismo, gente se acotovelando em lojas, rodoviárias e aeroportos, se endividando e tendo que gastar mais no próximo ano com terapias por algo que deveria fazer bem. Faça Natal com aquilo que você tem, esqueça as convenções de uma família perfeita e poder de consumir bens. Seja feliz com consigo mesmo diante de qualquer data do ano. 

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A vida que não tem retorno


Dizem que o que passou na nossa vida não volta, realmente não volta. Mas sempre vem a tona alguma coisa que você viveu anos atrás, há fatos  que estão no nosso presente. Quando o assunto é amor então, vai e volta, lembranças, saudades, dores sempre estão no seu presente mesmo que você não queira viver o que passou. Os anos passam na vida, mas tem pessoas que por algum motivo ficaram pelo ensinamento, pela sua historia, pelo que elas foram para você naquela época. Por obra do destino tomei conhecimento de uma historia de amor entre dois jovens que tiveram toda sua vida modificada. Hoje ambos têm suas vidas, mas poderiam ser felizes juntos. A moça era pobre, filha de colonos de uma fazenda, o moço filho do dono da fazenda onde o pai da moça trabalhava. Estava muito claro que está historia não iria dar em nada pela diferença social dos jovens. O tempo passou, a moça se casou e foi morar em outro Estado. Um dia ela veio na  cidade natal rever parentes e soube de seu amor de juventude. Ele estava infeliz vivendo um casamento cheio de traição, numa cidade onde todos sabiam de sua vida. A moça que também não teve sorte no casamento, disse uma frase que me fez pensar. “... a história poderia ter sido outra e seríamos felizes juntos, mas o tempo já se foi e tudo vai continuar como está...” A história poderia ter sido diferente, mas houve o fator diferença social. Por que as historia de amor nem sempre dão certo, sempre tem um fator que interrompe um amor, que iria escreve sua historia feliz no destino de muitas vidas. Eu fiquei sabendo dessa história e resolvi contar aqui no blog, para você que é jovem está vivendo um amor  e, que tem um monte empecilhos, lute por ele, não deixe o tempo passar e, um dia se arrepender. Não adianta voltar o tempo, não existe um eterno retorno para vida, lute no presente em que você está vivendo sua história, faz a vida acontecer diante dos obstáculos. É muito triste saber de histórias onde ambos chegam  a velhice recordando  uma história que não teve um final feliz.            
     

sábado, 22 de setembro de 2012

Confissões e lágrimas

Parece que quando vivenciamos situações na vida, passamos a prestar mais atenção naquele fato e sempre nos deparamos com situações parecidas. Com o passar do tempo, sempre encontramos pessoas que estão passando por problemas, que um dia você passou. Em uma viagem encontrei um amigo.Conversando,ele me falou do seu casamento que está falido, mas mesmo nessa situação ele tem um amor muito grande pela esposa. Por ironia do destino, eu sempre vivo encontrando alguém com esse mesmo problema. Relacionamento entre duas pessoas é a parte mais gostosa da vida e também a mais complexa. O moço contou toda sua história e também seu sofrimento.  Não sei se no passado os casamentos eram assim, pois hoje ouço muitas reclamações sobre o casamento que já não é o mesmo. O tempo passa para todo mundo, só que as pessoas não percebem, que nada é para sempre na vida. O casamento perde o romantismo de antes, a sexualidade já não é a mesma, a vida a dois já não tem os mesmos encantos de outros tempos. Essa é a reclamação que mais ouço de homens e mulheres. Outro dia saiu uma pesquisa do IBGE sobre a taxa de divorcio no Brasil bateu o record. Se fizer uma pesquisa com pessoas que mantém o casamento, mesmo sendo infelizes, vão ter um índice altíssimo. Como sempre ouço essas reclamações, me questiono o que está ocorrendo entre pessoas que um dia construíram uma vida cheia de sonhos e, chegam aos 50 anos infelizes. Tem pessoas que vão à luta, encontram novos amores, refazem a vida e são feliz, já tem outros que preferem manter o casamento mesmo sendo infeliz. Quando ouço essas confissões fico imaginando, porque isso ocorre na vida de pessoas que tem tudo para serem felizes. Os filhos já cresceram e seguiram seu caminho, a parte financeira está estabilizada, mas são infelizes.  Pior que muitas vezes, a pessoa convive com a outra e não sabe da dor que o outro sente.Vendo as lágrimas que teimavam em descer nos olhos de meu amigo, fiquei imaginando como a vida é desigual. Quantas pessoas que gostariam de ter alguém ao seu lado.Quem tem não dá valor, carinho, atenção, não conseguem completar aquela pessoa. Eu confesso que não entendo a vida, quando ouço essas confissões, sinto que a vida é amarga para algumas pessoas. Quantas pessoas procuram um amor e morrem sem encontrar. Já quem  tem um amor, pouco se importa em preservar, fazer o amor crescer e se fortifica. Quem quer alguém para amar, se dedicar, incluir a outra na sua vida, nunca encontra sua alma gêmea. A conclusão que chego,que apenas uma minoria sabe amar e viver a vida intensamente. Garanto que ainda vou ouvir muitas histórias de amores infelizes e também de pessoas que procuram um amor que nunca vão encontrar. O tempo pode passar, mas sempre haverá alguém com o coração ferido, uma vida vazia, desejos por mudanças, por aventuras, mas lá no fundo tem um relacionamento que caiu na rotina e já não é mais feliz com era antes.As histórias sempre são as mesmas, só muda os personagens.